Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Noticias > Professores do CDSA apresentam trabalhos no 43º Encontro Anual da ANPOCS
Início do conteúdo da página
Notícias

Professores do CDSA apresentam trabalhos no 43º Encontro Anual da ANPOCS

  • Publicado: Quarta, 16 de Outubro de 2019, 12h17
imagem sem descrição.

Professores do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido (CDSA) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), apresentarão trabalhos de pesquisa no 43º Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS), que acontecerá de 21 a 25 de outubro, em Caxambu-MG.

Os trabalhos que serão apresentados no evento são os seguintes: “Democracia, violência e impunidade na América Latina”, do professor José Maria Pereira da Nóbrega Júnior; “Da formação ao trabalho: A realidade profissional dos jovens rurais formados pelo CDSA-UFCG-Sumé”, de Valdonilson Barbosa dos Santos; “O resignificado da representação política e os efeitos nas mídias digitais”, de Kelly Cristina Costa Soares e; “Política para o futuro? A trajetória do Programa de Cisternas em um contexto de desmonte das políticas públicas no Brasil”, de Paulo Cesar Oliveira Diniz, que na ocasião, será debatedor 3ª Sessão temática do evento, intitulada “Populações Tradicionais, políticas públicas e enfrentamentos situacionais”.

Resumos dos trabalhos

Democracia, violência e impunidade na América Latina

Autor: José Maria Pereira da Nóbrega Júnior - (CDSA/UFCG)

As eleições como mecanismo de escolha são realidade em quase todos os países latino-americanos. No entanto, esses países apresentam grande dificuldade em garantir direitos civis e políticos a maioria de suas populações. A conexão entre democracia como regime político, controle da violência e da impunidade é ponto fundamental da análise empreendida. Foi utilizado o método de política comparada e análise de dados estatísticos no intuito de avaliar os níveis de democratização dos países latino-americanos e a correlação do regime político com os níveis de violência e de impunidade. Os resultados encontrados demonstraram que a maioria das democracias eleitorais latino-americanas é de baixa qualidade, as quais são classificadas como frágeis democracias, ou semidemocracias, e que nelas a criminalidade violenta e a impunidade estão acima do tolerável, não obstante o funcionamento de eleições periódicas. Sugerimos que a melhoria das instituições responsáveis pelo controle da violência e da impunidade é fundamental para a consolidação da democracia latino-americana.

Da formação ao trabalho: A realidade profissional dos jovens rurais formados pelo CDSA-UFCG-Sumé

Autores: Maria de Assunção Lima de Paulo (UFCG), Valdonilson Barbosa dos Santos (CDSA/UFCG)

Este artigo tem como objetivo entender quais os efeitos da formação em nível superior de jovens rurais, egressos do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido-UFCG, que foi criado a partir do processo de interiorização das universidades públicas. Através de metodologia qualitativa, com uso de formulário aberto, analisamos questões referentes a mudanças no trabalho, relações de trabalho e familiares, relações com o meio rural, visão de mundo e idade dos jovens. Como resultados percebemos que para além de melhor acesso ao mercado de trabalho, a formação em nível superior colabora para uma positividade na visão dos jovens em relação ao meio rural, expande sua visão para este meio, os faz ter uma visão mais crítica sobre as relações de trabalho e sobre a política, contribui para sua auto-estima e para positivar a identidade de jovem rural, além de ampliar suas possibilidades de busca por outras oportunidades de trabalho.

O resignificado da representação política e os efeitos nas mídias digitais

Autores: Kelly Cristina Costa Soares (CDSA/UFCG), Kyev Moura Maia (UFCG)

O instituto da representação política passou por várias transformações desde sua gênese histórica, e, com o advento da internet, uma nova mudança parece estar acontecendo. A popularização da internet e as mídias sociais abre um novo espaço digital para o debate político que chama atenção de candidatos que buscam emplacar sua agenda política nessas plataformas. A eleição presidencial brasileira foi marcada por um protagonismo dentro desses ambientes, principalmente no Twitter, logo, esse estudo tem o objetivo analisar o comportamento digital no Twitter dos cinco principais candidatos à presidência do Brasil em 2018. Trata-se de uma pesquisa empírico-qualitativa de cunho exploratório, usando dados primários obtidos através da ferramenta Twittonomy, que permitiu a extração dos tweets do período eleitoral, entre os meses de agosto e outubro de 2018. Através do software MAXQDA, foi realizada a nuvem de palavras, listando as 60 palavras mais utilizadas pelos candidatos. Os principais resultados obtidos foram: consistência dos discursos na esfera digital com os proferidos em meios tradicionais, e para maioria dos candidatos, o período eleitoral representa o pico no uso dessa rede social.

Política para o futuro? A trajetória do Programa de Cisternas em um contexto de desmonte das políticas públicas no Brasil

Autores: Paulo Cesar Oliveira Diniz (CDSA/UFCG), Christiane Fernandes dos Santos (UFRN), Cimone Rozendo (UFRN)

Em 2017, o Word Future Council concedeu à ASA Brasil, o Prêmio Prata de Política para o Futuro por seu papel na implementação da Política de Cisternas no semiárido, marcando o coroamento de um reconhecimento. Ademais, com o apoio da FAO, a tecnologia tem sido replicada na região do Sahel, África, como estratégia de Segurança Alimentar e Nutricional. Apesar da sua importância e repercussão, no Brasil, o número de unidades implementadas vem reduzindo sistematicamente, desde 2015, tanto no que se refere às cisternas para consumo humano (P1MC) quanto às de produção (P1+ 2). Ressalta-se que isso vem ocorrendo em um contexto marcado por uma das piores secas enfrentadas pela população da região semiárida, em especial a rural. O artigo pretende fornecer um panorama da implementação das Políticas de Cisternas, no Brasil, a partir de dados secundários, com destaque para os estados do RN e PB. Esse quadro é complementado por entrevistas com atores implicados na implementação da Política, com o objetivo de compreender as relações entre Estado e sociedade civil, quando essa se desloca de suas "trincheiras de resistência" (CASTELLS, 1999) e passa a assumir novos papéis, como nesse caso.

Assimp CDSA/UFCG

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página