Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Noticias > Servidora do CDSA lança ebook que trata sobre territórios em conflito na Região do Cariri Paraibano
Início do conteúdo da página
Notícias

Servidora do CDSA lança ebook que trata sobre territórios em conflito na Região do Cariri Paraibano

  • Publicado: Quinta, 21 de Março de 2019, 19h57
imagem sem descrição.

 

O livro “Territórios em Conflito na Região do Cariri Paraibano: uma análise na perspectiva dos Direitos Humanos” de autoria da técnica administrativa do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido /UFCG, Carla Mailde Feitosa Santa Cruz, trata questões de conflito de identidade das comunidades rurais de Olho D’água do Padre, Caititu e Catonho, que são constituídas predominantemente por agricultores familiares.

De acordo com a autora, historicamente, esses agricultores familiares residiram e construíram suas relações econômicas, culturais, sociais e simbólicas no território pertencente ao município de Sumé, no Cariri Paraibano.

Segundo a autora, “em decorrência da revisão dos limites territoriais ocorrida no ano de 2010 houve alterações no ordenamento territorial dos municípios de Sumé-PB e Serra Branca-PB e as citadas comunidades passaram a integrar o território administrativo de Serra Branca-PB”. “Esta mudança se deu sem que os moradores assim desejassem, sem consultá-los e sem que estes reconhecessem como pertencentes ao município de Serra Branca, a partir de então teve início o conflito territorial e identitário que se estende por sete anos” informa a autora.

O livro foi elaborado a partir da dissertação de mestrado defendida pela autora que analisou os elementos constituintes da identidade territorial dos moradores daquelas comunidades e sua relação com os direitos humanos. “Tratou-se de uma pesquisa qualitativa de cunho interdisciplinar, sendo a história oral a principal fonte de dados, os quais foram analisados a luz da teoria crítica”, disse.

“A perspectiva dos direitos humanos aqui defendida baseia-se na compreensão que não basta existir a positivação de direitos para que ocorra a violação, nem tão pouco a existência desses direitos por si só asseguram a efetivação e cumprimento dos mesmos, que se concretizam nas resistências e lutas sociais”, relata Carla Santa Cruz.

Acesse aqui o Ebook.

(Rosenato Barreto – Assimp CDSA/UFCG)

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página