Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Noticias > UFCG em Sumé forma 82 novos profissionais
Início do conteúdo da página
Notícias

UFCG em Sumé forma 82 novos profissionais

  • Publicado: Sábado, 23 de Fevereiro de 2019, 15h47
imagem sem descrição.

O Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido da Universidade Federal de Campina Grande realizou na noite da quarta-feira, 20 de fevereiro, no Ginásio de Esportes de Sumé, a solenidade de Colação de Grau do Semestre 2018.2. A UFCG formou 82 estudantes dos cursos de Licenciatura em Ciências Sociais, Licenciatura em Educação do Campo, Engenharia de Biotecnologia e Bioprocessos, Engenharia de Biossistemas, Engenharia de Produção, Superior de Tecnologia em Agroecologia e Superior de Tecnologia em Gestão Pública.

A mesa solene presidida pelo reitor da UFCG, Vicemário Simões, foi composta pelo Diretor do CDSA, Hugo Morais de Alcântara; o vice-diretor do CDSA, Franklin Ferreira de Farias Nóbrega; a coordenadora administrativa da Unidade Acadêmica de Tecnologia do Desenvolvimento, Alecksandra Vieira de Lacerda; o coordenador administrativo da Unidade Acadêmica de Educação do Campo, Faustino Teatino Cavalcante Neto; a coordenadora administrativa da Unidade Acadêmica de Engenharia de Produção, Cecir Barbosa de Almeida Farias; o representante da coordenação administrativa da Unidade Acadêmica de Engenharia de Biotecnologia e Bioprocessos, Jean César Farias de Queiroz; o coordenador administrativo da Unidade Acadêmica de Ciências Sociais, Wallace Gomes Ferreira de Souza; o coordenador administrativo da Unidade Acadêmica de Gestão Pública, Allan Gustavo Freire da Silva; a coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia, Carina Seixas Maia Dornelas; a representante da Coordenação do Curso de Engenharia de Biossistemas, professora, Joelma Sales dos Santos; o coordenador do Curso Interdisciplinar em Educação do Campo, Isaac Alexandre da Silva; o coordenador do Curso de Engenharia de Produção, Daniel Augusto de Moura Pereira; a coordenadora do Curso de Engenharia de Biotecnologia e Bioprocessos, Ana Verônica Silva do Nascimento; a coordenadora do Curso de Ciências Sociais, Sheylla de Kassia Silva Galvão; o coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública, Gilvan Dias de Lima Filho; a representante da Prefeitura Municipal de Sumé, Maria do Socorro Sarmento e a Paraninfa Geral das Turmas concluintes do período 2018.2, Maria Nazaré Alves de Queiroz.

Proferiram o juramento os seguintes formandos: Rosana de Medeiros Silva (Ciências Sociais), Luana Cristina de Medeiros (Engenharia de Biossistemas), Caio de Azevedo Lima (Engenharia de Biotecnologia e Bioprocessos), Natali Clécia Santos de Figueiredo (Engenharia de Produção), Roger Braúlio de Souza Farias (Interdisciplinar em Educação do Campo), Cíntia Daniele de Freitas Gonçalves (Superior de Tecnologia em Gestão Pública) e Bárbara Barros Paulino (Superior de Tecnologia em Agroecologia), representando os demais concluintes dos seus respectivos cursos.

Receberam grau em nome dos seus colegas de cursos, os formandos Jéssica Kallyne Arruda Silva (Ciências Sociais), Jéssica Sabrina Ovídio de Araújo (Engenharia de Biossistemas), Jayane Karine Pereira de Araújo (Engenharia de Biotecnologia e Bioprocessos), Emanuel Bruno Bezerra Marins de Araújo (Engenharia de Produção), Genilda da Silva Carvalho (Interdisciplinar em Educação do Campo), Rodolfo Luna Queiroz (Tecnologia em Gestão Pública) e Micilene Silva de Brito (Tecnologia em Agroecologia). O orador das turmas concluintes foi o formando Wagner Berto dos Santos Diniz, do curso de Ciências Sociais.

A solenidade teve participação da Filarmônica Municipal Maestro Antônio Josué de Lima, homenageando os formandos como canções populares e fez a execução do Hino Nacional sob regência do maestro Diego Bruno de Souza, professor do CDSA.

O vice-diretor do CDSA, Franklin Ferreira de Farias Nóbrega, fez a saudação a Paraninfo Geral, Maria Nazaré Alves de Queiroz, que foi a personalidade homenageada na ocasião.

O diretor

Em sua fala para os formandos, o diretor do CDSA, Hugo Morais de Alcântara destacou: “As mudanças e transformações em nossas vidas acontecem, mas nem sempre de forma tranquila e fácil. São caminhos diversos que cada um de vocês terá que enfrentar, mas desejo que não desistam de seus sonhos e que continuem sendo perseverantes, lutando com respeito pelo que acreditam”.

“Desejo a todos que possam utilizar os conhecimentos partilhados e as habilidades desenvolvidas com auxílio de professores, técnicos e com seus colegas durante sua vida profissional que ora se inicia. E que não esqueçam que as Instituições de Ensino Superior gratuitas desempenham um papel fundamental para a sociedade brasileira e que todos nos temos a obrigação de lutar pela sua manutenção”, continuou.

“Lembrem que residem em uma região marcada por características climáticas peculiares, onde grande parte de nossos municípios esta situada na região do semiárido e, que o Nordeste precisa do seu trabalho, para que um dia possamos ter o desenvolvimento regional adequado à necessidade de sua população e que isso favoreça para uma melhor condição de vida aos nordestinos. Não permitam que o desejo da produtividade e do lucro superem o respeito à vida, à segurança da população e a dignidade do homem. O desenvolvimento pode ser realizado respeitando o meio ambiente. E a sua formação e o seu trabalho podem contribuir para isso”.

“Desejo que todos perseverem para que possam realizar os seus sonhos e os sonhos dos seus familiares”, concluiu.

Saudação à homenageada

Inicialmente, dirigindo-se aos formandos, o vice-diretor do CDSA, Franklin Nóbrega destacou: “Digo-lhes que o sucesso é daqueles que batalham, e, com toda certeza, cada um de vocês é merecedor desse sucesso. Que a alegria da formatura hoje, fique para sempre, para que a felicidade também contagie aqueles que das suas profissões se beneficiarem. Pessoas grandes são aquelas que lutam por ideais, e hoje vocês provam ser parte desse universo de pessoas. Parabéns pela formatura!”.

Sobre a Paraninfa das turmas concluintes, a agricultora Maria Nazaré Alves de Queiroz, ele apresentou o perfil da homenageada: “A Senhora Nazaré, nascida em 06/06/1969, é Natural de Camalau-PB. Desde o ano de 2006, reside no assentamento Mandacaru, município de Sumé.

Nos anos 80, D. Nazaré migrou para São Paulo , onde desenvolveu algumas atividades profissionais como costureira e também na construção civil, mas também onde dedicou parte de sua vida à luta pela moradia junto ao movimento ‘Povo Sem Teto’.

Mesmo tendo conseguido erguer sua vida em São Paulo, decidiu voltar para o Cariri para dedicar-se a Reforma Agrária e a agroecologia. É uma defensora ferrenha da agroecologia e hoje ocupa-se da agricultura familiar.

Uma frase que Dona Nazaré sempre utiliza: ‘é importante chegar ao fim conhecendo o meio, o percurso’, dizendo com isto que os esforços e as lutas por mais árduos que sejam, são ensinamentos para crescermos enquanto pessoa, enquanto profissional.

Sempre teve o sonho de voltar a estudar e sempre fez questão de levar um dos Netos (estudante usuário da escola agrícola) entrando pelo portão principal do CDSA, para fazê-lo conviver no Campus e estimulá-lo a um dia pertencer a universidade!

Dona Nazaré é presidenta da Associação dos Agricultores, Extrativistas e Artesãos do Cariri Paraibano – CARIMBU; faz parte do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e da rede Organização Participativa de Avaliação da Conformidade - OPAC, que tem como objetivo contribuir para a certificação orgânica dos produtos da agricultura.

Um dos seus grandes sonhos se concretizou em setembro de 2018, quando a associação CARIMBU foi selecionada para fazer parte da Incubadora de Agronegócios das Cooperativas, Organizações Comunitárias, Associações e Assentamentos Rurais do Semiárido da Paraíba (IACOC)/UFCG por dois anos e assim ela e um grupo de agricultores do Assentamento Mandacaru e Comunidade Caititu estão recebendo formação pela UFCG

Atualmente, parte de suas terras no assentamento mandacaru são utilizadas para reflorestamento com espécies nativas e frutíferas e para o trabalho coletivo com mulheres do Assentamento Mandacaru”.

Fala da homenageada

Maria Nazaré - “Jovens vocês são a esperança de dias melhores para todas e todos. Vocês são a prova de que a Universidade é também para filhos e filhas de trabalhadora, de agricultora, de dona de casa, para todas e todos. agradeço o convite e a homenagem que a universidade me fez. Enquanto agricultora assentada da Reforma Agrária não poderia me sentir mais honrada. Chegou o grande dia, formandos. Só vocês e vossos pais e mães sabem o valor que tem este diploma.

“Todo o caminho percorrido até aqui é valioso, porque trouxe ensinamentos e a chegada só tem sentido quando percorremos todo o caminho, conhecendo e superando cada obstáculo. Não podemos chegar ao fim sem conhecer o meio”.

“Para mim é motivo de felicidade e emoção estar sendo homenageada pela UFCG/Campus de Sumé, no ano em que ela completa 10 anos aqui no Cariri. Neste curto período de tempo ela já transformou e continua a transformar a vida de pessoas que antes nunca puderam sonhar em fazer um curso superior, como eu, que com 14 anos migrei para São Paulo. Além disso, a Universidade tem contribuído para melhoria das condições de vida de agricultoras e agricultores, que têm na porta uma fonte de conhecimento riquíssima”.

“Alguns valores são para a vida toda: a Agroecologia, a educação, a preservação ambiental e a luta por igualdade de direitos e condições dignas de sobrevivência são para a vida toda. São heranças que cultivamos e que ficam para as próximas gerações”.

“Meu maior desejo é que vocês, formandos, tenham possibilidades, de exercer a profissão, de preferência aqui no Cariri paraibano, para contribuírem com a convivência com o semiárido; não sendo possível, voem e não esqueçam de contribuir, cada um da sua forma, com as mulheres e homens do campo, da agricultura familiar, pois são eles que abastecem a mesa que vocês se alimentam todos os dias”.

“Hoje vocês podem sonhar e realizar seus sonhos. Alimentem sempre a esperança e como diria Paulo Freire: "Em um país como o Brasil, manter a esperança viva é em si um ato revolucionário”, finalizou.

O orador

“Caríssimos colegas formandos é chegado o momento que tanto esperamos, o dia em que expressões tais como ‘valeu a pena’ e ‘deu certo’ são ditas sem sobriedade. Para alguns aqui, hoje pode ser apenas mais uma cerimônia de Colação de Grau, mas, para nós, hoje é, longe de qualquer dúvida, um dos dias mais importantes de nossas vidas”, assim iniciou Wagner Berto. “São já alguns anos de dedicação aos livros e, cada um de nós aqui enfrentou diferentes barreiras para que este momento se tornasse realidade. Vivemos o ensino básico de diferentes maneiras, alguns com mais desafios do que outros, e assim também foi o ensino superior”.

“Gostaria de, em nome de todos os colegas formandos, render agradecimentos aos nossos queridos pais e mães, os de sangue e os de coração. Os maiores agradecimentos que faremos a vocês serão manifestados não em palavras, mas em gestos e atitudes concretas; aos nossos mestres que ao longo de nossa formação nos proporcionaram grandes lições em favor, do desenvolvimento da ciência e do conhecimento; aos nossos amigos e amigas, vocês que em muitos momentos foram nosso conforto, nos tranquilizando e encorajando; aos companheiros e companheiras que sempre confiaram em nossas capacidades, agradecemos o carinho e o amor. A todos que direta ou indiretamente contribuíram para a concretização deste sonho, nossos mais sinceros agradecimentos”.

“Todos nós, formandos, cientes dos próximos desafios que nos aguardam, diante da agitação da vida no século XXI, serenamente damos mais esse passo em direção ao futuro rumo à construção de uma sociedade cada vez mais justa e equânime”, concluiu.

O reitor

“Hoje é o momento de festividade, é o momento que eu considero de congraçamento, pois são mais turmas formadas neste Campus, na cidade de Sumé, no Cariri paraibano”, falou o reitor da UFCG, Vicemário Simões.

“Aproveito a oportunidade para também homenagear Maria Nazaré, por ser uma mulher brava, destemida, que enfrentou o Nordeste, o Sudeste e Sul do País, mas voltou para as terras áridas do Semiárido Nordestino”. “Dito isso, não posso deixar de falar do momento atual, dos desafios que mais uma vez o povo brasileiro deverá ter a capacidade de superação para enfrentar o desafio da educação brasileira, é preciso defendê-la”.

Sobre o momento da Colação de Grau, falou: “É preciso também que não esqueçamos o Senhor, que nos ilumina. Vocês estudantes e seus familiares, aproveitem esse momento, assim peço que possam levantar-se e fazer uma ovação para estes familiares, pais e mães, que merecem todo o nosso reconhecimento”.

Por fim, “Esse momento é de gratidão e reconhecimento aos familiares que ainda ajudarão muito a vocês, pois muitos hão de querer seguir os estudos em cursos de mestrado e doutorado, outros abrirão suas empresas, e outros farão o que bem entender mas, cada um tem seu próprio relógio, tem seu tempo”.

 

 

 Veja mais fotos aqui.


Assimp CDSA/UFCG

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página